terça-feira, 23 de setembro de 2008

última parte

Mito da morte

Com um impasse criado
O homem declara:
Nem tu, deus, impedirá meu caminho.
E em um movimento
Deus, o ser que não existia
Voltou a não existir.

E o homem se virou para o anjo:
Você também irá para o vazio.
Mas o anjo proclama:
Não! não deixareis
Tu roubar minha liberdade!!!

O anjo enfiou a mão em seu peito
E retirou seu coração,
Esmagou-o e transformou-o em pó.

Lançou ao vento, proclamando:
Morrerei, mas meus sentimentos serão eternos!!!
E o corpo inerte do anjo cai, agonizante ao chão.
O homem furioso, grita, esbraveja e amaldiçoa o anjo.

O homem passa a viver sobre a terra,
Mas, agora, tendo que conviver
Com todos os sentimentos do anjo
E com o maior de todos.
O amor.

Tornou-se a maior maldição do homem.
Aprender a viver com o amor.

"Essa foi a última poesia desse arco. Espero que tenham gostado. Vou demorar um pouco até a próxima publicação, pois ainda estou escrevendo um texto para colocar aqui."

Um comentário:

danii =) disse...

não preciso nem comenta neh? mto lindo! mto inteligente tb! rs, ACHO BOM continuar postando.. beijãããoo :)