sábado, 22 de maio de 2010

Doença.

Bom, andar frustrado é, em partes, normal. Todo mundo, um dia, já passou por isso. Muitas pessoas passaram por causa de amor. Sou uma delas. O amor, sim, trás muitas felicidades e alegrias, mas só quando dura. Entretanto, ele tira sua saúde, causa dor, sofrimento quando se é perdido. Você torna-se miserável. Uma doença psicológica.

Mesmo sabendo de tudo isso, lutando para me livrar, não consigo. Estou doente, quase à beira da morte, esperando o último sopro do vento puro do mundo podre passar pelos meus pulmões agonizantes.

Sim, culpa disso é da doença chamada amor. Sofro dela em absoluto silêncio. É meu jeito. Quando quero chorar, gritar e dizer tudo que sinto, apenas consigo sorrir falsamente, mas passando sinceridade. Quando quero abraçar, beijar e segurá-la para mim, apenas sou debochado, xingo e sou zuado. No final, sou apenas um covarde, mentiroso, doente e aluciando coisa que nunca terá, porque nunca tentou tê-las.

Mas agora só tenho uma dúvida. O que será melhor para mim?

Um comentário:

Marrie Posa disse...

eu também estou doente. =/
preciso achar o remédio.. se eu achar eu te passo. mas fique certo, tem um amor que dói menos... é o amor de uma verdadeira amizade.te amo!
fique bem...

queria eu ser tão silenciosa.